sábado, 26 de dezembro de 2009

Kalendas na Matriz de Teresina!


Pax et bonum!

Primeiramente desejo a todos um Feliz e Santo Natal!
Informamos que, pela primeira vez em Teresina (até que alguma fonte segura prove o contrário), o Anúncio do Natal ("Kalendas") foi cantado em latim.
A melodia foi a mesma usada na Missa Papal. A partitura pode ser baixada aqui.
Lamentamos não termos avisado com antecedência.

O cantor fui eu, Luís Augusto. No momento estava servindo como cerimoniário... Tivemos aqui um conflito de funções, mas foi a única disposição conveniente que encontramos, de acordo com os nossos recursos humanos na Paróquia Nossa Senhora do Amparo.

Outros detalhes:

- In nomine Patris
- Kyrie, de Angelis
- Sanctus, de Angelis
- Per ipsum
- Benedictio Dei omnipotentis
- Ite missa est, de Angelis
Além das patenas para a distribuição da Sagrada Comunhão.

Observação: perguntava-me o que significa a expressão "luna octava", que a cada ano é diferente (mudando a numeração). Fazendo alguns cálculos entendi que se trata do dia no mês lunar, ou seja, a partir da Lua Nova. Como neste ano ela caiu no dia 16 de dezembro, a noite do Natal (dia 24) foi o 8º dia depois desta data.


Por Luís Augusto - membro da ARS

quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

"Et incarnatus est"...Adorando o Verbo Encarnado (Para não esquecer)

Alguns gestos litúrgicos, considerada a sua simplicidade, muitas vezes são, por nós, ignorados ou esquecidos. É o que acontece, corriqueiramente, com as inclinações e genuflexões, por exemplo. Mas aqui, quero me referir, particularmente, ao gesto de ajoelhar-se a certas palavras do Credo nas Solenidades da Anunciação do Senhor e do Natal.


Lembro-me da primeira Missa do Galo celebrada por S. S. Bento XVI, em 24/12/2005, em que o Papa se ajoelhou durante a oração do Credo. O comentarista afirmou que, naquele momento o Papa, resgatava um tradicional costume da Igreja, que se encontrava em desuso. Não me recordo se o Pontífice anterior deixou de fazê-lo. O certo é que eu, conquanto já me interessasse pelo assunto, desconhecia muitos detalhes (e continuo a desconhecer outros tantos) acerca da Sagrada Liturgia, pus-me em busca da norma litúrgica que embasou o gesto do Papa . Encontrei a na Instrução Geral do Missal Romano(IGMR) e no Ordinário da Missa. Só recentemente, pude vislumbrar com mais clareza, a proposta de “pedagogia litúrgica” de Bento XVI.


Pois bem, diz a IGMR:


137. O símbolo é cantado ou recitado pelo sacerdote com o povo (cf. n. 68), estando todos de pé. Às palavras E se encarnou pelo Espírito Santo, todos se inclinam profundamente, mas nas solenidades da Anunciação do Senhor e do Natal do Senhor todos se ajoelham.


Comparando essa norma com as rubricas que constam no ordinário, tem-se que:

Sendo rezado o Símbolo Apostólico, ajoelha-se às palavras “que foi concebido pelo poder do Espirito Santo; nasceu da Virgem Maria”;


Onde é rezado o Símbolo Niceno-Constantinopolitano, às palavras: “E se encarnou, pelo Espírito Santo, no seio da Virgem Maria, e se fez homem.”


Ajoelhar-se torna-se uma expressão visível da adoração ao inefável mistério da Sagrada Encarnação do Verbo, em que Deus se rebaixa tomando a condição humana:


Sendo ele de condição divina, não se prevaleceu de sua igualdade com Deus, mas aniquilou-se a si mesmo, assumindo a condição de escravo e assemelhando-se aos homens. E, sendo exteriormente reconhecido como homem, humilhou-se ainda mais, tornando-se obediente até a morte, e morte de cruz. Por isso Deus o exaltou soberanamente e lhe outorgou o nome que está acima de todos os nomes, para que ao nome de Jesus se dobre todo joelho no céu, na terra e nos infernos.”(Fl 2, 8-10).


Não nos esqueçamos!


Por Edilberto Alves

segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

Papa João Paulo II é reconhecido Venerável


Papa Bento XVI, como era esperado, concedeu o Decreto da Heroicidade das Virtudes ao seu antecessor.

Como havía sido noticiado no site "Santos do Brasil", estava concluído o processo da heroicidade das virtudes na Congregação para as Causas dos Santos, e entregue o resultado ao Papa Bento XVI para que ele tomasse a decisão de conceder ou não o decreto ao Servo de Deus. Em audiência sábado, dia 19 de dezembro de 2009, o Papa emanou vários decretos:

- decretos de Heroicidade das Virtudes para 10 Servos de Deus (que se tornaram, assim, Veneráveis),

- decreto sobre o Martírio para um servo de Deus (que será então beatificado),

- decretos aprovando um milagre para 5 Veneráveis (que se tornarão então beatos)

- e decretos aprovando um milagre para 5 Beatos (que serão, então, canonizados).

Entre os servos de Deus que se tornaram veneráveis está também o Papa Pio XII, papa que enfrentou os terrríveis anos da segunda guerra mundial com grande coragem e determinação, e cuja figura foi alvo de inúmeros e injustos ataques, muitos anos após sua morte, como se ele tivesse sido um colaborador de Hitler. Felizmente, o próprio mundo hebraico tem trabalhado ultimamente para dar a conhecer , com grande quantidade de documentos e relatos de sobreviventes do holocausto, o quanto o Papa Pio XII atuou contra os planos de Hitler, salvando milhares de judeus da morte certa.

Falta, agora, a conclusão do processo do milagre.

Para que João Paulo II possa ser beatificado, falta concluir-se o processo do presunto milgre obtido por sua intercessão, a cura da religiosa francesa que sofria do mal de Parkinsson. Ao concluir-se esse processo, será submetido ao Papa Bento XVI, e caso ele queira conceder a este fato o reconhecimento de autêntico milagre, então tudo estará pronto para a beatificação.


Conclui-se a fase mais difícil e demorada da sua causa de canonização, bem como a mais significativa e importante, segundo o referido site.

Fonte: www.santosdobrasil.org