quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

Sé Vacante 2013 - Orações pela eleição do novo Papa

Pax et bonum!

Inicia-se o período de vacância da Santa Sé, da Cátedra de São Pedro. O Cristianismo fica sem o seu fundamento visível de unidade, o pastor a quem Cristo confiou o governo de sua Igreja.
A Sagrada Liturgia, no Rito Romano, dá-nos três orações para esta ocasião, as quais são convenientes para serem usadas em nossa oração pessoal, durantes estes dias de Sé Vacante.
Somos gratos ao Papa Bento XVI pelo muito que fez, sobretudo quanto à Liturgia, nestes 8 anos de pontificado. Rezemos agora pelo seu Sucessor, rezemos pela Igreja, rezemos pelo mundo.


1. Oratio da Missa Pro eligendo Summo Pontifice, da Forma Extraordinária do Rito Romano

Súpplici, Dómine, humilitáte depóscimus: ut sacrosánctae Románae Ecclésiae concédat Pontíficem illum tua imménsa píetas ; qui et pio in nos stúdio semper tibi plácitus, et tuo pópulo pro salúbri regímine sit assídue ad glóriam tui nóminis reveréndus. Per Dóminum nostrum Iesum Christum Fílium tuum, qui tecum vivit et regnat in unitáte Spíritus Sancti, Deus, per ómnia saecula saeculórum. Amen.

Suplicamos, ó Deus, com humildade: que vossa imensa piedade conceda à Sacrossanta Igreja Romana um Pontífice; que por seu zelo por nós, possa ser agradável a Vós, que seja assíduo no Governo da Igreja para a glória e reverência do Vosso nome. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que convosco vive e reina na unidade do Espírito Santo, Deus, por todos os séculos dos séculos. Amém.


2. Collecta da Missa Pro eligendo Papa vel Episcopo, da Forma Ordinária do Rito Romano

Deus, qui, pastor aetérnus, gregem tuum assídua custódia gubérnas, eum imménsa tua pietáte concédas Ecclésiae pastórem, qui tibi sanctitáte pláceat, et vígili nobis sollicitúdine prosit. Per Dóminum nostrum Iesum Christum Fílium tuum, qui tecum vivit et regnat in unitáte Spíritus Sancti, Deus, per ómnia saecula saeculórum. Amen.

Ó Deus, pastor eterno, que governais a vossa grei com constante proteção, concedei à Igreja um pastor, na vossa imensa piedade, que vos agrade pela santidade e nos beneficie por uma atenta solicitude. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que convosco vive e reina na unidade do Espírito Santo, Deus, por todos os séculos dos séculos. Amém.

3. Oratio da Missa de Spiritu Sancto, da Forma Extraordinária do Rito Romano

Deus, qui corda fidélium Sancti Spíritus illustratióne docuísti: da nobis in eódem Spíritu recta sápere; et de eius semper consolatióne gaudére. Per Dóminum nostrum Iesum Christum Fílium tuum, qui tecum vivit et regnat in unitáte eiúsdem Spíritus Sancti, Deus, per ómnia saeula saeculórum. Amen.

Ó Deus, que instruístes os corações dos fieis com a iluminação do Espírito Santo, dai-nos o reto saber, no mesmo Espírito, e o sempre gozar de sua consolação. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do mesmo Espírito Santo, Deus, por todos os séculos dos séculos. Amém.

Por Luís Augusto - membro da ARS.

terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

Ordo 2013 ("Diretório Litúrgico" para a Forma Extraordinária do Rito Romano)

Pax et bonum!

O tempo está sendo bastante curto ultimamente e nosso blog tem ficado com poucas postagens. Pedimos desculpas aos nossos amigos e leitores.
Embora já esteja findando o primeiro bimestre de 2013, ainda não é tarde para uma boa notícia: está disponível o "Ordo Divini Oficii recitandi Sacrique peragendi" de 2013, organizado pela Administração Apostólica Pessoal São João Maria Vianney.
Até onde sabemos, é o único subsídio disponível em língua portuguesa relacionado ao calendário romano geral, com o próprio do Brasil e aprovado pela Santa Sé, referente à Forma Extraordinária do Rito Romano. Embora aprovado para uso na Administração Apostólica, pode tornar-se um ótimo guia para grupos e comunidades em que a Sagrada Liturgia é celebrada segundo o Usus Antiquior.
Até o momento, o arquivo não está disponível no site da Administração Apostólica, mas o encontramos disponibilizado publicamente no Slideshare:


A todos o nosso desejo de que estejam a viver santamente esta Quaresma.

Por Luís Augusto - membro da ARS

segunda-feira, 11 de fevereiro de 2013

Papa Bento XVI anuncia sua renúncia

Pax et bonum!

É 11 de fevereiro, memória da aparição da Bem-aventurada Virgem Maria em Lourdes, na França, e Dia Mundial do Enfermo.
O mundo praticamente acorda com a notícia de que ontem, no consistório público, o Santo Padre anunciou sua renúncia para o dia 28 deste mês.
Enquanto tantas pessoas, inclusive cristãos, não se importam com tal coisa, e estão festejando o Carnaval nestes dias, neste imenso Brasil, muitos fiéis, tristemente surpresos, rendem graças a Deus pelo serviço que o Santo Padre prestou ao rebanho de Jesus Cristo nestes 8 anos e, talvez preocupados, já rezam pelo Conclave que deverá ocorrer em março.
Acontecerá que um das primeiras viagens do novo Papa será para a JMJ 2013, no Rio de Janeiro. Que a juventude esteja a rezar fervorosamente para que um verdadeiro pastor, um verdadeiro guardião da Fé, nos seja dado pelo bom Deus.

A mensagem da renúncia em latim

A mensagem em português (tradução divulgada pela Rádio Vaticana):

Caríssimos Irmãos,

Convoquei-vos para este Consistório não só por causa das três canonizações, mas também para vos comunicar uma decisão de grande importância para a vida da Igreja. Depois de ter examinado repetidamente a minha consciência diante de Deus, cheguei à certeza de que as minhas forças, devido à idade avançada, já não são idóneas para exercer adequadamente o ministério petrino. Estou bem consciente de que este ministério, pela sua essência espiritual, deve ser cumprido não só com as obras e com as palavras, mas também e igualmente sofrendo e rezando. Todavia, no mundo de hoje, sujeito a rápidas mudanças e agitado por questões de grande relevância para a vida da fé, para governar a barca de São Pedro e anunciar o Evangelho, é necessário também o vigor quer do corpo quer do espírito; vigor este, que, nos últimos meses, foi diminuindo de tal modo em mim que tenho de reconhecer a minha incapacidade para administrar bem o ministério que me foi confiado. Por isso, bem consciente da gravidade deste acto, com plena liberdade, declaro que renuncio ao ministério de Bispo de Roma, Sucessor de São Pedro, que me foi confiado pela mão dos Cardeais em 19 de Abril de 2005, pelo que, a partir de 28 de Fevereiro de 2013, às 20,00 horas, a sede de Roma, a sede de São Pedro, ficará vacante e deverá ser convocado, por aqueles a quem tal compete, o Conclave para a eleição do novo Sumo Pontífice.
Caríssimos Irmãos, verdadeiramente de coração vos agradeço por todo o amor e a fadiga com que carregastes comigo o peso do meu ministério, e peço perdão por todos os meus defeitos. Agora confiemos a Santa Igreja à solicitude do seu Pastor Supremo, Nosso Senhor Jesus Cristo, e peçamos a Maria, sua Mãe Santíssima, que assista, com a sua bondade materna, os Padres Cardeais na eleição do novo Sumo Pontífice. Pelo que me diz respeito, nomeadamente no futuro, quero servir de todo o coração, com uma vida consagrada à oração, a Santa Igreja de Deus.

Vaticano, 10 de Fevereiro de 2013.

Enfim, recordemos o feliz dia 19 de abril de 2005, quando o Cardeal Joseph Ratzinger foi eleito sucessor de São Pedro.

Obrigado, Senhor!
Oremos, irmãos, oremos!

Por Luís Augusto - membro da ARS

sábado, 9 de fevereiro de 2013

Sobre a gula, por São João Maria Vianney

Pax et bonum!

Muitos irmãos já estão em penitência, por conta do tempo pré-Quaresmal, iniciado no Domingo da Setuagésima, ou seja, o antepenúltimo antes do I da Quaresma. Amanhã estes irmãos celebram o Domingo da Quinquagésima.
Pois bem, recordando o jejum e a abstinência que faremos na Quarta-feira de Cinzas, início da Quaresma, traduzimos mais um texto do Santo Cura d'Ars. Trata-se de uma exortação sobre a Gula.
Nas Instruções Catequéticas ele falou dos sete pecados capitais. É possível que, assim como os textos estão sendo traduzidos para serem publicados no Folheto Litúrgico Dies Domini, da Paróquia Nossa Senhora do Amparo, Teresina-PI, estejamos colocando todos aqui no blog também.
No mais, ouçamos o santo presbítero:


Sobre a Gula
A gula é o amor desordenado do comer e do beber.
Somos gulosos, filhos meus, quando tomamos o alimento em excesso, mais do que o requerido para o sustento do nosso pobre corpo; quando bebemos além do que é necessário, de modo a perder nossos sentidos e nossa razão... Ó, como é vergonhoso este vício! Como isto nos degrada! Vede, ele nos põe abaixo dos animais brutos: eles nunca bebem mais do que para saciar sua sede; eles se contentam em comer o suficiente; e nós, quando já temos saciado nosso apetite, quando nosso corpo já não aguenta mais, ainda queremos ir atrás de todo tipo de pequenas iguarias; enchemo-nos de vinhos e licores! Não é isto deplorável? Nem podemos mais nos segurar sobre nossos joelhos; caímos, rolamos nas valas e na lama, tornamo-nos o alvo do riso de todos, e até mesmo um joguete para as criancinhas...
Se a morte nos surpreendesse nesse estado, meus filhos, não teríamos nem tempo de nos recompor; cairíamos nessa situação nas mãos do bom Deus. Que desventura, meus filhos! Como nossa alma se surpreenderia! Como ficaria atônita! Deveríamos tremer de horror ao ver os perdidos que estão no Inferno... Não nos deixemos guiar por nosso apetite; arruinaremos nossa saúde, perderemos nossa alma... Vede, meus filhos, a intemperança e a devassidão são o sustento dos médicos, é o que lhes faz viver e lhes dá uma boa prática... Ouvimos todo dia como um tal estava bêbado e, caindo, quebrou a perna; outro, atravessando um rio numa tábua, caiu na água e afogou-se... A intemperança e a embriaguez são a companhia dos ricos iníquos.
...Um momento de [certo] prazer neste mundo nos custará muito caro no outro. Lá [os homens] serão atormentados por uma fome raivosa e uma sede devoradora; não terão uma gota d'água para se refrescar; suas língua e seus corpos serão consumidos pelas chamas pela inteira eternidade... 
Ó meus filhos! Nós nem pensamos nessas coisas, e talvez isso não vá deixar de acontecer a alguns dentre nós antes do ano acabar! São Paulo disse que aqueles que se entregam ao excesso no comer e no beber não terão o reino de Deus. Reflitamos sobre essas palavras! Olhai para os santos: Santa Isabel, Rainha de Portugal, jejuava por todo o Advento e também do dia de São João Batista (24/06) até a Assunção (15/08). Pouco depois, ela começava outra Quaresma, que durava até a festa de São Miguel. Ela vivia apenas de pão e água nas sextas e sábados, e nas vigílias das festas da Bem-aventurada Virgem e dos Apóstolos. Dizem que São Bernardo tomava óleo no lugar de vinho. Santo Isidoro nunca comia sem verter lágrimas! Se fôssemos bons cristãos, faríamos como os santos fizeram.
Deveríamos fazer um bom negócio pelo Céu em nossas refeições; deveríamos privar-nos de várias coisinhas de modo a, sem que isto causasse dano ao nosso corpo, oferecermos algo bastante agradável ao bom Deus; mas escolhemos antes satisfazer nosso gosto do que agradar a Deus; nós afogamos, nós sufocamos nossa alma no vinho e na comida. 
Meus filhos, Deus não nos dirá no Dia do Juízo: "Dá-me conta do teu corpo", mas "Dá-me conta da tua alma; que fizeste com ela?"... O que lhe responderemos? Acaso temos mais cuidado com nossa alma do que com nosso corpo? Ó meus filhos! Não vivamos mais pelo prazer da comida; vivamos como os santos viveram; mortifiquemo-nos como eles foram mortificados. Os santos nunca se deleitavam nos prazeres da boa comida. O prazer deles estava em alimentar-se de Jesus Cristo! Sigamos seus passos nesta terra, e nós ganharemos a coroa que eles possuem no Céu.

Fonte: The Blessed Curé of Ars in his catechetical instructions, Part 2, Chapter 10 - On Gluttony.

Traduzido do inglês por Luís Augusto - membro da ARS