Postagens

Mostrando postagens de Janeiro, 2014

A Celebração da Palavra de Deus na ausência do presbítero

Pax et bonum!

Recordando a citada V Semana de Liturgia de uma paróquia teresinense, recebemos o material disponibilizado ontem (dia 29), que aborda a Celebração da Palavra de Deus na ausência do presbítero. O texto, de autoria de Ângelo Rodrigues Domingues (veja também seu testemunho sobre a participação na Missa na Forma Extraordinária), membro da ARS, apresenta várias citações do Diretório para Celebrações Dominicais na ausência do Presbítero, documento da Congregação para o Culto Divino, que infelizmente parece ser pouco conhecido. Em seu lugar, muitas vezes citado como única referência no que diz respeito a estas celebrações, existem as Orientações para a Celebração da Palavra de Deus (Documento 52), da CNBB, que também são citadas no presente texto.
O tema, que já desejávamos tornar objeto de uma postagem, providencialmente nos vem abordado nesta louvável iniciativa da Paróquia Nossa Senhora de Nazaré. Sendo uma realidade constante para muitos fiéis brasileiros (a celebração domi…

Imperdível: download da obra "Missarum Sollemnia" do Pe. Josef Jungmann, SJ (em inglês)!

Imagem
Pax et bonum!

No ano de 1949 vinha a lume uma das obras que se tornou uma das mais famosas e consultadas atualmente sobre a história da Missa do Rito Romano. Trata-se de "Missarum Sollemnia", de Pe. Josef Andreas Jungmann, SJ, sacerdote jesuíta austríaco, nascido em 1889 e falecido em 1975. Pe. Josef passou maior parte de sua carreira lecionando Teologia Pastoral na Universidade de Innsbruck. É conhecido pela promoção do interesse em práticas antigas da Igreja que integravam o culto e a catequese. Enquanto ele foi bastante conhecido no âmbito da catequese, atualmente seu nome parece ser mais recordado quanto ao estudo da liturgia, tendo sido ele um dos peritos do Concílio Vaticano II e membro da comissão que redigiu a Constituição Conciliar Sacrosanctum Concilium. Em português, no Brasil, o Missarum Sollemnia foi publicado pela Paulus. Em inglês, a obra foi digitalizada e disponibilizada para download, o qual foi noticiado em postagem do último dia 26, do ótimo New Liturgica…

Congratulações pela V Semana de Liturgia da Paróquia Nossa Senhora de Nazaré (Teresina-PI)

Pax et bonum!

A ARS gostaria de parabenizar a Paróquia Nossa Senhora de Nazaré, com Matriz no Conjunto Bela Vista, na zona sul de Teresina-PI, pela realização de sua V Semana de Liturgia. A Semana de formação iniciou na noite desta segunda-feira (27/01) e se estende até a próxima sexta-feira (31/01). O tema geral deste ano é "A Celebração da Eucaristia e a Palavra de Deus na Sagrada Liturgia", onde as palestras se voltarão para a Palavra de Deus na Santa Missa, incluindo, todavia, a Celebração da Palavra. Os temas diários são:
27/01 - A Celebração Eucarística e a Palavra de Deus na Liturgia - Parte I 28/01 - A Celebração Eucarística e a Palavra de Deus na Liturgia - Parte II 29/01 - A Celebração da Palavra de Deus 30/01 - A Liturgia e a Palavra de Deus, segundo a Exortação Apostólica Verbum Domini 31/01 - Disposições gerais
A bela iniciativa é do pároco, o Pe. Francisco das Chagas Santos Martins, que assim cumpre o que se pediu no Concílio Vaticano II: "Procurem os pastores …

Promovendo a Forma Extraordinária da Santa Missa

1.  Por que restaurar a Missa Latina Tradicional? Vivendo num mundo secularizado, a Forma Extraordinária da Missa ajuda-nos a manter nossas raízes na tradição e na herança da Igreja. A Missa Latina Tradicional ajuda os católicos a santificar suas vidas numa era dessacralizada. A forma antiga da Missa Romana fomenta um senso de respeito pelas sagradas tradições da Igreja. Este elo vital com o Sacrifício da Missa é uma âncora segura e uma garantia de que não nos afastamos daquele alicerce da Fé Católica. Na atmosfera sagrada que se experimenta na celebração da Forma Extraordinária, os fiéis são bem dispostos para dar ao nosso Deus Uno e Trino o culto que lhe é devido. O tesouro da música sacra da Igreja, especialmente o canto gregoriano e a polifonia sacra, é fortemente promovido na celebração da Missa segundo o Missal Romano de 1962. E a promoção do uso do latim, a língua própria da igreja, em seu culto, ensino e administração, é assegurada na celebração da Missa "Tridentina"…

Meu testemunho - 3

Imagem
(Testemunho escrito em 28/12/2013)
Verbum caro factum est et habitavit in nobis!

A exemplo do que fizeram dois outros irmãos da Associação Redemptionis Sacramentum aqui e aqui, também eu venho deixar minhas impressões sobre a Santa Missa segundo a Forma Extraordinária do Rito Romano, também conhecida como “Missa Antiga”, “Missa Tridentina”, “Missa de São Pio V”, dentre outras denominações. Chamo-me Ângelo Rodrigues Domingues, casado, 31 anos, esperando nosso primeiro filho enquanto celebramos a vinda do Filho de Deus ao mundo. A primeira vez que ouvi diante de mim o “Introibo ad altare Dei” (“Subirei ao altar de Deus”) também foi em Fortaleza, na Igreja do Tauape. É claro que foi emocionante e surpreendente, mas embora eu já tivesse visto alguns vídeos e lido vários textos, embora soubesse rezar alguma coisa em latim e já conhecesse um pouco o Missal de 1962, estar lá em pessoa foi outra coisa completamente diferente! Só para ilustrar, eu estava com o Missal na mão, mas quando eu pensa…

O que era um "altar privilegiado"?

Imagem
Um altar é dito privilegiado ("altare privilegiatum") quando, em adição aos frutos ordinários do Sacrifício Eucarístico, uma indulgência plenária é também concedida sempre que a Missa é aí celebrada, devendo a indulgência ser aplicada à alma individual por quem a Missa é oferecida. O altar privilegiado deve ser um altar fixo ou imóvel, mas num sentido mais amplo, isto é, deve ser estacionário ou permanente, seja construído num fundamento sólido ou preso a uma parede ou coluna, ainda que não seja consagrado, mas tenha meramente uma pedra consagrada (altar portátil, pedra d'ara) inserida em sua mesa. O privilégio está anexado não à pedra do altar, mas à própria estrutura, por razão do título que ela carrega, isto é, o mistério ou o santo em honra de quem ele é dedicado. Assim, se o material do altar for mudado, se o altar for transferido para outro lugar, se outro altar for substituído por ele na mesma igreja, dado que nele permaneça o mesmo título, e ainda que o altar se…

"A data do nascimento de Jesus"

Imagem
Pax et bonum!
Segue nossa tradução de um interessante artigo do site da Custódia da Terra Santa.

Geralmente se aceita hoje em dia, entre historiadores e estudiosos, que o ano do nascimento de Cristo não foi calculado corretamente . Isto se refere a um erro cometido pelo monge Dionísio o Exíguo que, no início do séc. VI, recebeu de Roma a tarefa de estender as tábuas cronológicas da data da Páscoa que tinham sido preparadas no tempo do Bispo Cirilo (=São Cirilo de Alexandria). O monge tomou como ponto de partida a data da encarnação do Senhor. O equívoco de Dionísio está no fato de que ele calculou o nascimento de Jesus tendo lugar depois da morte de Herodes − em outras palavras, quatro a seis anos depois da data em que ela atualmente aconteceu − que corresponderia ao ano 748 depois da fundação de Roma. Mas de acordo com Flávio Josefo, Herodes o Grande morreu depois de governar por 37 anos, e dado que foi entronizado no ano 40 a.C., o ano de sua morte deve ter sido o ano 4 a.C. Isto tamb…

A Basílica da Natividade, em Belém

Imagem
Pax et bonum!

Dos muitos templos que, na Terra Santa, compõem os lugares mais sagrados para nós, cristãos, podemos citar sobretudo as igrejas que se referem aos dois grandes mistérios que dominam os dois ciclos do Ano Litúrgico, a Páscoa e o Natal, ou seja, Morte/Ressurreição e Encarnação/Nascimento: a Igreja do Santo Sepulcro e a Igreja da Natividade. Nesta postagem queremos aprender um pouco sobre a Igreja da Natividade.
Localização


Ela está localizada na cidade de Belém, na Palestina (Oriente Médio), a 10km ao sul de Jerusalém, sobre uma caverna tradicionalmente apontada como o local de nascimento de Jesus de Nazaré, que reconhecemos e confessamos como Cristo, Salvador, Senhor, Filho de Deus, Segunda Pessoa da Santíssima Trindade.
Origem
A Igreja ou Basílica da Natividade é considerada a mais antiga da Terra Santa e o templo cristão mais antigo em uso. Foi inscrita em 2012 na lista do Patrimônio da Humanidade, da UNESCO. Sua construção foi ordenada em 326 ou 327, por Santa Helena, a …

Sobre o Natal do Senhor

Imagem
Pax et bonum!
Eis a nossa primeira postagem do novo ano civil, conforme o tempo foi nos permitindo.
Ainda gozando de mais alguns dias do Tempo do Natal, e estando no que também pode se chamar de Tempo da Epifania (conforme a forma extraordinária do Rito Romano), é conveniente meditarmos e tentarmos haurir ainda mais algumas boas reflexões destas grandes solenidades de nosso Salvador, Jesus Cristo. Não é preciso falarmos tanto sobre a necessidade de "recristianizarmos o Natal". Todos sabemos o quão este período foi sendo despojado de seu sentido cristão e mesmo religioso (de um modo amplo). As confraternizações encheram muitas bocas de "espírito natalino" ou de "magia do natal", expressões vagas que indicam uma simples embora absurda ignorância ou uma tentativa de apagar da memória humana a recordação e a devida gratidão, além da própria e necessária adoração, diante do Deus que se revestiu de nossa fragilidade, encarnando-se para nos remir de nossos pecado…